A empresa AD-TECH INDUSTRIAL LTDA., com sede à Rua Ângelo Máglio, 140, Vila São José, em Osasco, Estado de São Paulo, através de seus sócios-administradores, compromete-se a respeitar e alinhar sua conduta de forma a atender o Código de Ética declarado na norma SA 8000:2001, de forma a cumprir e a influenciar seus contratados para que atendam os princípios e normas contidos nos documentos abaixo listados:

  • Convenções OIT 29 e 105 – Trabalho forçado e Trabalho escravo;
  • Convenção OIT 87 – Liberdade de associação;
  • Convenções 100 e 111 – Remunerações equivalentes para trabalhadores masculinos e femininos por trabalho equivalente e Discriminação;
  • Convenção OIT 135 – Convenção dos representantes dos trabalhadores;
  • Convenção OIT 138 e Recomendação 146 – Idade mínima para trabalho;
  • Convenção OIT 155 e Recomendação 164 – Saúde e segurança dos trabalhadores;
  • Convenção OIT 159 – Reabilitação vocacional e emprego de pessoas com deficiência;
  • Convenção OIT 177 – Trabalho doméstico;
  • Convenção OIT 182 – As piores formas de trabalho infantil;
  • Declaração Universal dos Direitos Humanos;
  • Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança;
  • Convenção das Nações Unidas para Eliminar Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres;
  • Código Penal Lei 1.309/51 e Lei 7.716/89, que definem os crimes e as contravenções penais resultantes de atos resultantes de preconceitos;
  • Lei 3.999/61, que dispõe sobre o salário mínimo dos médicos e cirurgiões dentistas;
  • Lei 4.950-A/56, que dispõe sobre a remuneração profissional para os diplomados em Engenharia, Química, Arquitetura, Agronomia e Veterinária;
  • Lei 8.906/94, que dispõe sobre o salário mínimo profissional para Advogados;
  • Lei 6.494/77 e Decreto 95.247/87, que institui o Vale Transporte;
  • Lei 8.036/90 e Decreto 95.247/87, que dispõem sobre o recolhimento obrigatório do FGTS;
  • Lei 8.069/90, Portaria MT10/01, Portaria SEAS 458/01, que dispõem sobre o trabalho infantil;
  • Lei 9.029/95, que proíbe a exigência de atestado de gravidez e esterilização e outras práticas discriminatórias, para efeitos admissionais ou de permanência da relação jurídica de trabalho;
  • Trabalho Forçado: Decreto-Lei 2.848/40 – Código Penal Brasileiro, que veta a redução do trabalhador à condição análoga a de escravo;
  • Portaria MT 3.214/76, que aprova às Normas Regulamentadoras da Consolidação das Leis do Trabalho;
  • Lei 7.853/89, Lei 10.098/00 e Decreto 3.298/99, que determinam as empresas com mais de 100 empregados que destinem de 1 a 5% de suas vagas para pessoas portadoras de necessidades especiais.


 
página principal